BAGUNÇANDO O SETOR PRODUTIVO


Deputado do PT afirma que a PF causou uma bagunça no setor produtivo e pode prejudicar o Acre

O deputado Lourival Marques (PT) falou na manha desta terça-feira (21), sobre o possível estrago que a Operação Carne Fraca poderá causar na exportação de carne no Acre. O petista afirma que a Polícia Federal causou uma verdadeira bagunça no setor produtivo brasileiro que poderá afetar o Estado.
“Esta operação pode afetar do pequeno ao grande produtor. Do jeito que foi feita a operação, as exportações podem cair. Precisamos rever esta situação. Acredito que a carne do Acre é de excelente qualidade, que não tem esta preocupação para o consumidor, mas podemos ser atingidos”, destaca Marques.
Segundo o líder do PT na Aleac, “o Acre poder ser afetado se por acaso esta situação da carne chegar a prejudicar a exportação de carne do Acre”. Lourival informa que 2.265 cabeças de gado são abatidas diariamente no Estado, sendo que 1.500 – o que equivale a 90% – com SIF para exportação.

“Espero que a gente consiga avançar, porque foi difícil para o Brasil avançar neste setor. Tanto trabalho técnico com vacinação e cuidados com o rebanho para que uma operação midiática destruísse todo esforço dos produtores e empresas que trabalham com a carne”, finaliza Lourival Marques.

Fonte: Ac24Horas

RECURSOS PARA ESTRADAS AGRICOLAS

Fundo pode ajudar produtores rurais a resolver problemas de infraestrutura, diz Maggi



O ministro Blairo Maggi (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) sugeriu a produtores rurais a criação de um fundo que ajude a resolver problemas de infraestrutura do setor, durante o 2º Fórum Soja Brasil, em Não-Me-Toque (RS). 
O fórum, promovido pelo Canal Rural e a Associação dos Produtores de Soja do Brasil (Aprosoja) com coordenação técnica da Embrapa, ocorreu em Não-Me-Toque, durante a Expodireto Cotrijal. Maggi visitou a feira, um dos maiores eventos do agronegócio brasileiro, acompanhado por comitiva de embaixadores de 32 países.
O ministro destacou que os embaixadores puderam ver em sobrevoo sobre Passo Fundo, município vizinho, onde o avião pousou, propriedades com reservas legais e rios preservados. “São 20% das margens protegidas, aqui no Sul, 35%, no Centro-Oeste, e 80% no Norte”, destacou, observando que “país nenhum no mundo tem essa obrigação legal”.
Investimento estrangeiro

O Mapa está desenvolvendo ações na Expodireto Cotrijal para atrair investimentos estrangeiros, impulsionar as exportações de produtos agropecuários e promover a imagem do Brasil no exterior. Junto com o secretário de Relações Internacionais do Agronegócio, Odilson Ribeiro, o presidente da Embrapa, Maurício Lopes, e os vice-presidente do Banco do Brasil, Tarcísio Hubner (Agronegócio) e Carlos Hamilton (Infraestrutura), Maggi participou do lançamento do aplicativo Custeio Digital do BB durante a feira.
Depois de atribuir às pesquisas da Embrapa grande parte do mérito pelo aumento da produtividade do agronegócio no país, nos últimos 40 anos, Maggi ressaltou “o mérito dos próprios agricultores, que acumulam anos e anos de conhecimento”. E enfatizou os riscos da atividade ligados ao clima: “Trabalhamos numa indústria a céu aberto”. O ministro disse também ser portador de um abraço de solidariedade e de agradecimento do presidente Michel Temer aos produtores rurais.
Fonte: Mapa


COLHENDO FRUTOS


 Produtor Rural conhecido por “CHEFE”, morador do seringal Mato Grosso, trouxe para o nosso município 50 sacas de farinha de ótima qualidade.

Nossos agricultores tem muito potencial pra produzirem. Agricultores como o seu Raimundo Freitas “CHEFE”, são exemplos de produtores que batalham e lutam pelo o crescimento da produção de nosso município.

A nova Gestão do Secretário de Produção e Sustentabilidade, tem no seu PLANO SAFRA, como principal foco o suporte técnico para a qualidade dos produtos, e mercado para o crescimento econômico do nosso município. 


Portanto o principal papel é incentivar os produtores que ainda não produzem e nem criam, a despertar para um potencial agrícola que buscamos em nossa gestão. Parabenizamos produtores como “CHEFE” por ter empenho e força de vontade em cultivar e produzir. Tendo sempre em mente que a nossa gestão buscará atender o mais presente possível nossos agricultores com suas necessidades.

FEIRINHA A TODO VAPOR



Feira do Produtor em Jordão, que é integrada a Secretaria de Produção e Sustentabilidade, que procura se tornar referência para quem busca comprar alimentos, como: legumes, frutas, verduras, doces, pé de moleques, beijú com coco na folha, mel de cana e outros itens fresquinhos direto do campo, além dos produtos coloniais, também tem aqueles produtores da cidade que levam um cafezinho da hora para aquecer as manhãs de todos os domingos, com a tipicidade culinária jordanenses. 


Atualmente, a feira do produtor acontece todos os domingos das 05:00 as 08:00 horas da manhã.


Este é um projeto que visa contemplar todos os produtores de nossos municípios, para que assim o homem da cidade tenha na sua mesa uma alimentação com maior qualidade.  




Além dos preços competitivos, a venda direta do produtor ao consumidor, isso ganha força por causa qualidade dos produtos, e o fortalecimento da economia local.  

Brasil vai conhecer sistema de melhoramento de desempenho da pecuária dos EUA

Uma missão do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) visita os Estados Unidos, entre 11 e 18 deste mês, para conhecer como funciona o sistema de segregação de gado criado com melhoradores de desempenho e o uso de tais produtos na pecuária daquele país. Além de reuniões com o FSIS (serviço de inspeção de produtos de origem animal americano), os técnicos brasileiros vão a fazendas que segregam o rebanho.

Participarão da delegação o secretário de Defesa Agropecuária, Luis Rangel, e técnicos dos departamentos de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Dipoa) e de Fiscalização de Insumos Pecuários (DFIP) e da Coordenação de Produtos Veterinários e de Monitoramento Estratégico (rastreabilidade).

No ano passado, lembrou Rangel, o Brasil deu um passo importante com o reconhecimento da equivalência com o modelo americano de inspeção e produção de carnes. Isso fortaleceu a confiança mútua na segurança sanitária e alimentar entre os dois países. A próxima etapa, acrescentou, é verificar se as tecnologias utilizadas nos EUA para a produção de carnes podem ser usadas no Brasil, obedecendo as exigências brasileiras e as dos mercados para os quais fornece carne bovina.

Fonte: Mapa
Proxima